quinta-feira, dezembro 02, 2010

Pagando pra ver

Cansei de brincar com coisa séria, e de levar a sério demais o que é simples brincadeira. Nesta vida existem vários pesos e várias medidas e já faz tempo que não consigo mais ser absoluta em nada do que eu digo. Mania essa de relativizar. Mas como dizem por aí, é caminhando que se faz o caminho, e a viagem só vale a pena se o processo também valer. Já não quero me arrastar por aí sem ter foco no futuro, nem ficar tão de olho no futuro que me perca do presente. É sempre esse, o desafio de balancear. Não transformar o remédio em veneno, não errar na dose do equilíbrio que se torna tão estável que fica monótono. O que quero não é a paz serena de ser pacata cidadã eternamente, quero a paz do valer a pena, a paz da recompensa e da consciência tranqüila, a paz de uma partida que paga o preço mínimo dos lances, seja você ganhador, seja você o último da fila. Não existe essa de jogar a toalha sem sequer ter começado a partida, resolvi abrir a guarda e fazer minhas apostas, guardei comigo aqui algumas fichas, estou jogando alto mas tô pagando pra ver.

4 comentários:

raylsonbruno disse...

Acho q a minha toalha já estava jogada. Então não a apanhei, deixei-a lá, como achei que tinha que ser. E agora me arrependo da minha covardia. Será que ainda há tempo para mudar. Acho que não, isso é o que eu sou...

Edilson disse...

Me lembrou "não é hora" - Golpe de Estado. Assim, seco!

Beijo!

Pcesar disse...

Entendi o seu pensamento. Vivo assim. Apenas o dia de hoje. O de amanhã como uma referência. É o maximo que podemos fazer. E também devemos nos perdoar pelo que não fazemos, pela porcaria que aprontamos, pela droga da vida que nos desvia do caminho, pois tudo isso é parte , apena s, daquele dia vivido. Boa sorte pra você !

Carol disse...

Fenomenal o seu espaço. Revirei as páginas e achei os seus textos ótimos, repletos de sensibilidade. Me vi em vários deles. Seguirei lendo.