segunda-feira, agosto 27, 2007

Conto de fadas


Você vem e com delicadeza me abre, para então me invadir com violência. A cada seis meses mais ou menos é assim. Você surge como uma corda ao afogado, quase no instante em que esse já se conformou com uma morte certeira.

Você me abre e diz que sou bonita. Então me relembra todos os planos que um dia fizemos. Você lembra mesmo deles? Era uma casa de frente pro mar, um cachorro e um barquinho ancorado. Talvez até alguns filhos, nossa menina chamada Catarina. Você me faz acreditar que tudo isso ainda é real, eu quase posso sentir meus pés na areia e teu cheiro ao meu lado. Mas se abro os olhos, tudo me escapa.

Você chega perto e diz que sou eu, como quem cita uma antiga poesia. Foi poesia para nós dois, mas isso já faz tanto tempo. Tanto tempo que eu meio que ainda estou lá, ainda me sinto menina, tão menina como quando te vi pela primeira vez. Nessa época eu ainda tinha inocência, era ingênua, e acreditava em fadas.

Você beijava a boca de outra, se lembra? Depois gostou só da minha, e eu gostei só da sua, e hoje já não me lembro mais como você beija. Tanta gente passou no meu caminho, tantas bocas, tantos sentidos, tantos corpos e tantas palavras. Tanta história que eu pude contar. Mini fábulas, mini crônicas, mesmo as que que chegaram a ter mais de um capítulo. A história mais linda sempre foi a sua, que eu não me canso de reler. Será história? Será ficção? Às vezes me parece mais um conto de fadas: você chega em seu cavalo branco, me resgata do alto da torre, e fugimos juntos pra Terra do Nunca. Você é quase Peter Pan, não cresce nunca, eu sou Wendy te reencontrando anos depois, e a gente meio que continua os mesmos. Eu sou a princesa que você jura amar para sempre.

Mas nosso conto de fadas é moderno. Seu cavalo foi branco por um tempo, depois tomou outras formas. Esta princesa não é mais virgem, a torre se tornou subterrânea. Outros príncipes passaram, nenhum deles achou minhas tranças, talvez eu as tenha cortado, esperando que você as preserve.

Você diz que vai lutar. Você sussurra aquilo que mais gosto de ouvir, nunca me esqueci o que já escutei um dia. Você me abre e me enche de esperança, e apaga 4 anos num piscar de olhos. O meu mal é gostar disso. O meu mal é gostar de gostar de você, é gostar da idéia de ter um romance tão lindo nas páginas da minha vida.

Quanto tempo ainda até seu jardim novamente secar? Nele plantei as flores mais belas, árvores gigantes, mas nunca pude analisar seu solo. Qual é o mês para este plantio? Qual a época certa de regar esse amor? Eu perdi minhas sementes, ou as joguei em solos áridos demais para que sobrevivessem.

Você me abre.
E me fecha.
Ao seu bel-prazer.

Me resta olhar pra tua letra, sentir tua imagem, imaginar que seu cavalo ainda corre, e esperar que minhas sementes vinguem.

5 comentários:

Apple of the Eyes disse...

humanos, é o que somos, ora frágeis como uma flor rara, ora densos como uma floresta inteira de árvores gigantes.
você, uma princesa super-poderosa, mas humana, sangue quente correndo nas veias.
ara a terra, e suas sementes germinarão... pois como como diz o sábio, o plantio é facultativo, a colheita obrigatória.

Apple of the Eyes disse...

btw, ontem postei uma historinha de uma princesa que ficou presa na torre de seus próprios sonhos...
dá uma olhada lá. bj

Flavia Melissa disse...

é como eu disse.
enfrente seus fantasmas, faça com que se tornem mais reais e menos oníricos.

you rock, girl!

Fê Savino disse...

Ai, Naninhaaaa!!! Meu Deus!!! Por que, hein?! Aliás, como diria você mesma, pra que, hein?!?!
Nem falo nada... não tenho nenhuma moral pra falar, né?! Sei lá... não dá pra entender. Querer o novo, mas gostar de gostar do velho. Gostar das lembranças, dos cheiros, das caras e bocas...
Não dá pra negar que a saudade ainda existe... será que ainda há fichas pra apostar? E será que vale mesmo a pena?!
E por que será que tem horas que somos tão seguras e horas que o chão nos escapa novamente?
Sei lá, sei lá!
Saco!
Lindo texto!!!
Saudade! Quero saber tooodas as novidades! Imagino serem mtas!
Beijooooo

PS: amei a carinha do site!!! Que foto demais! É Dali?
PS2: Catarina?! Eu ia ter a Maria Júlia... hehehe

Marson disse...

A época certa de regar esse amor é agora! Conto de fadas não , realidade de grandes momentos vividos...
Continue em frente , sempre se dando uma oportunidade de viver novas emoções , novos contos de fadas ...
As vezes vc pode se surpreender...

Se jogaaaa
Beijocas
e mais um lindo!