sábado, setembro 01, 2007

Pó de estrelas


Dizem que vim de dentro da barriga de minha mãe.

Mas às vezes acho que vim das estrelas, que sou pó de diamante, de alguma explosão lá no espaço sideral. Um pó de estrelas. Meus pedaços, reunidos entre si, representam apenas partes de um todo muito maior, repleto de energia e que, definitivamente, não é deste planeta.

Dizem que vim de dentro de meu pai, mas acho que vim de um vulcão. Em minhas veias corre magma, de meus olhos brota fogo, meu espírito sempre em constante atividade pulsa em puro abalo sísmico.

Dizem que sou fruto de um amor; às vezes penso que sou produto de um delírio. Talvez eu seja apenas a alucinação de um doido lunático, sou sua amiga imaginária que ingenuamente acha que existe, e o enche de perguntas.

Dizem que sou feita de carne e ossos, mas sinto que sou feita de areia – sou resultado de algo em erosão, desmonto e me transformo tão logo venha a maré, faço parte do fundo mar, vôo com qualquer brisa que sopre. Sou leve, densa, cheia de vida.

Dizem que não vivo sem ar – eu digo que sou o próprio ar e suas partículas em suspensão. Sou um tornado que gira, cresce, ganha força e destrói tudo que é frágil, tudo o que estiver despreparado pra ter suas raízes arrancadas por um furor natural. Destruo o que for leve e sem alicerces, não deixo intacto nada que não tenha um mínimo de sustentação.

Fecho meus olhos e vejo as estrelas, girando em volta de mim como satélites em órbita. Sou apenas parte de uma coisa muito maior. Talvez apenas uma bolinha de pêlos numa blusa de um gigante, que um dia a bota pra lavar, e vira minha vida de pernas pro ar.

Dizem que sou grande.
Eu digo que isso é relativo.

No fundo, sou apenas mais um pontinho, num quadro de pontilhismo, na obra de alguém por aí.

Um vulcão, um delírio, o vento. Um grão de areia, um solo em erosão.

Pó de estrelas...

Eu, em expansão.

7 comentários:

Ick disse...

ex... panda.s sempre, beijus

Fê Savino disse...

Que lindo!!! Nossa, Naninha... mto profundo, reflexão pura...
Amei!!!
Mil bjinhossss

Flavia Melissa disse...

vc é, sim, tudo isso.
e muito mais.

é parte do meu coração...

Val_mira disse...

Lindo!!!!!!!! Já sou sua fã.Beijoss

Fernanda Rossini disse...

Ai que emoção amiga, vc esta enfim se conectando com o "todo"??!?!
Que orgulho, ela esta evoluindo em sabedoria, se esquecendo do orgulho dos ateus que pensam que sao mto...
Congrats, caminho certo, e com um texto em consagração!

N. Ferreira disse...

Devagar com o andor:
Ateu (no caso atéia) nunca fui, e sim agnóstica. A diferença é enooooooooorme e descarta o tal "orgulho".
Inclusive, e dá pra ver pelo teto, nunca me achei muito. Pelo contrário, acho que deveria ter me achado muito mais.
Conexão com o todo? Só se esse todo for o mundo e a natureza, como todo mundo já bem sabe em relação às minhas crenças.
Pra finalizar, o texto não tinha nada de espiritual, mas como já dizia minha vó, "cada um cheira o que quer quando aspira seus perfumes"...

Marcela disse...

Amiiiiiigaaaa , lindo!
Beijos
Marson