terça-feira, março 17, 2009

Thicker than water


Ligue o som e aperte o play.

É no futuro que seu rosto se revela
No nosso presente, somente a memória
O que restou da nossa história
E daquela mesa de bar
Daquele show de blues
Da sua cama desfeita
Do nosso primeiro cinema
E do filme que não chegamos a ver
As tuas palavras chegam a mim
Dando uma trégua na nossa batalha
A nossa Guerra Fria
A nossa justiça tão falha
O nosso acordo tácito
Essa distância ridícula
A nossa sede contida
Nessas palavras educadas
Elas velam o nosso rancor
A mágoa pela sua verdade
A sua maior prova de 'amor'
Que hoje me desperta saudade
Da sua barba por fazer
Dos abraços por receber
Do seu violão dedilhado
Da sua voz no escuro
Do meu coração machucado
E as fantasias sobre o futuro
Meu olhar continua impuro
Quando penso em você
Tanto tempo se passou
Sem a gente se ver
Onde anda você
Já nem importa mais
Sinto nos ombros o vento
E a mensagem que ele me traz:
Nossa ampulheta não marca o tempo
E sim a falta que você me faz
Nossa alma é perene
Nossa intenção já foi pura
Nossa despedida, solene
Não dizem que o tempo cura?
Se somente o autêntico dura
É essa a maior das maldades:
Nosso passado está nas lembranças
E nosso futuro, nas possibilidades.

3 comentários:

Luli disse...

lindo poema... tocante.

Lilith disse...

Sou amiga da Luli e tomo a liberdade de expressar meu encanto pelo teu texto...muito familiar pra mim.
Bj e obrigada

Nana disse...

Brigada Lilith, acho que sentir saudades de alguém e não poder fazer NADA a respeito é sempre um tema familiar a muita gente né?
Um beijo e volte sempre :)